sábado, 6 de dezembro de 2008

Grupo de formação espiritual

Acabei de dar uma olhada em uns slides sobre os grupos de formação espiritual do RENOVARÉ e gostei muito. Vou começar a orar por alguma coisa parecida.
Os slides podem ser baixados aqui.


sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Loucura

Vídeo evangelístico produzido pelo CELVA, o grupo para Comunhão, Edificação e Louvor entre Verdadeiros Amigos, ainda em 2007.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Meditações para maltrapilhos



O blog Café com livro estará, em uma parceria com a editora Mundo Cristão, realizando um sorteio do novo livro do Brennan Manning, Meditações para maltrapilhos.

Tudo o que você precisa fazer é responder à pergunta que o autor faz nesse vídeo em forma de comentário no blog.

O sorteio é dia 15 de dezembro.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Mortos que ressuscitam, reinos em ascensão

"Lembra-te de que defendes não interesses pessoais, mas os do teu país. Tuas virtudes e teus vícios, tuas qualidades e teus defeitos influem igualmente no ânimo daqueles que representas. Teus menores erros têm sempre nefastas conseqüências. Geralmente, os grandes são irreparáveis e funestos. É difícil sustentar um reino que terás levado à beira da ruína. Depois de destruí-lo, é impossível reerguê-lo. Tampouco se ressuscitam os mortos."
Sun Tzu, A Arte da Guerra
Em Jesus é possível reerguê-lo, assim como os mortos ressuscitam.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

JWtSC e campanhas engraçadas.

Estive dando uma olhada no site da Mars Hill Bible Church e encontrei alguma coisa sobre o novo livro do Rob Bell com Don Golden, Jesus Wants to Save Christians. Então eu continue navegando pra saber mais sobre o livro e encontrei o blog do livro. Lá tem alguma coisa sobre um reality game alternativo, para cristãos [e não cristãos]. Pelo que eu entendi é alguma coisa para o debate das idéias do livro, a imersão nelas em um ambiente virtual com jogos e tals.
Acabei entrando em um sitezinho esquisito, mais outro e o mais estranho, com seus vídeos engraçados, Citizens of Virtue. É uma campanha para o aprofundamento das pessoas em sete virtudes [de maneiras criativas e "produtivas"], uma por semana: temperança, paciência, castidade, bondade, humildade, diligência e caridade. Veja os vídeos de cada semana no site ou no youtube.
O meu inglês não me ajudou muito. Se alguém souber de alguma coisa, me explica.
Aqui vai o vídeo da campanha:

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Maltrapilhos


A Boa Nova significa que podemos parar de mentir a nós mesmos. O
doce som da graça admirável nos salva da necessidade do auto-engano.
Ele nos impede de negar que, embora Cristo tenha sido vitorioso, a
batalha contra a lascívia, a cobiça e o orgulho ainda ecoa dentro de nós.
Na condição de pecador redimido, posso reconhecer com qual freqüência
sou insensível, irritável, exasperado e rancoroso com os que me são mais
próximos. Quando vou à igreja, posso deixar meu chapéu branco em casa
e admitir que falhei. Deus não apenas me ama como eu sou, mas também
me conhece como sou. Por causa disso não preciso aplicar maquiagem
espiritual para fazer-me aceitável diante dele. Posso reconhecer a posse
de minha miséria, impotência e carência.
Brennan Manning, O evangelho maltrapilho

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Mundo Cristão - 52% off na Livraria Erdos

Aproveite a CONSPIRAÇÃO DIVINA, de Dallas Willard por R$ 29,90!
http://www.erdos.com.br/detalhe_pro2.php?id=3880
Um roteiro para trilhar no caminho de Deus. Bíblia: teoria ou prática para a vida?
O impacto do cristianismo tem sofrido um enfraquecimento devido à irrelevância prática da efetiva obediência a Cristo. Assim também a fé tem sido desconsiderada pelo cristão no processo de desenvolvimento do caráter individual.
O fato mais extraordinário é que o cristão contemporâneo não compreende Jesus e suas palavras como realidade e como um instrumento vital para seu dia-a-dia. A presumida familiaridade [com Jesus] tem levado ao desconhecimento, o desconhecimento ao desdém, e o desdém a uma profunda ignorância, afirma Dallas Willard.
Jesus conquistou o mundo antigo não com fantasias ou sonhos irrealizáveis, mas com vida, e em seu sentido mais profundo. Ele trouxe princípios relevantes e aplicáveis não só às questões mais cruciais da sociedade da época, mas da sociedade atual. São princípios imutáveis e atemporais.
O autor convoca o cristão moderno a uma fé mais autêntica e apresenta um plano prático para que ele se torne semelhante a Cristo. Willard o instiga a deixar de lado as políticas e as beatices da prática cristã contemporânea e o estimula a rejeitar a comuníssima fé morna dos tempos modernos, abraçando o verdadeiro significado do discipulado cristão.
E MAIS ALGUNS LIVROS...

sábado, 30 de agosto de 2008

"Há debaixo do sol algo
Que luta contigo meu coração partilhar?
Arranca-o e reina Tu
Como único dono e Senhor dele!"

"Concede que minha alma
Seja somente do Teu puro amor!
Que esse amor do meu ser inteiro se apodere,
E seja meu gozo, meu tesouro e coroa!
Fogos estranhos, para longe do meu coração remove,
Para que cada ato, palavra e pensamento,
Seja Teu amor a força que os impulsione!"

Explicação clara da Perfeição Cristã, John Wesley
"A menos que Tu limpes todas as minhas manchas,
Teu sofrimento e minha fé são vãos."
Parte de um hino citado no livro Explicação clara da Perfeição Cristã de John Wesley

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Arquitetura na Revolução

Um vídeo da campanha dos estudantes de arquitetura para que o ELEA (Encontro Latino de Estudantes de Arquitetura) fosse realizado em Porto Alegre. Ele fala sobre as desigualdades, sobre o que a mídia vende, sobre a nossa visão de mundo, sobre com o que nos importamos e sobre uma revolução, sim, A MESMA REVOLUÇÃO DE JESUS, quebrando tudo aquilo que está engessado e fazendo novo através da renovação da nossa mente! Porto Alegre não foi escolhida a sede do ELEA, mas o vídeo ficou muito bom.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Veja qual deles pode te salvar!

Um tempo sem internet, um tempo em mudança, um tempo com o computador estragado e um tempo de correria. Alguns dos motivos pra orfandade do blog. Mas estou aí de volta. Só não sei se com algum leitor. hehe
Muita coisa aconteceu. Tenho que agradecer a Deus pela oportunidade de ter mais tempo com o meu pai nesse semestre que passou (passei 5 meses morando com meu pai em MT e agora voltei ao RS) mas agora estou no horário de Brasília novamente e retomando os estudos de Arquitetura. Também visitei o dLIVEr e a última foi que me desliguei do ministério do qual fazia parte. Creio que foi uma direção de Deus, o próximo passo eu não sei, ou mesmo até quando ficarei sem "igreja". Talvez até voltar para o ministério, se o Pai disser assim. Vou esperar. Por enquanto congrego com os alunos de Jesus na universidade e por aí, onde eu encontrar alguém. =D
Há pouco tempo recebi um e-mail que mostra uma coisa curiosa percebida por essas andanças por aí. Ele mostra bem a situação de um povo que perdeu a Essência. Vai lá!
Lembrando que recebi esse "material compilado" em um e-mail e não conheço suas fontes ou veracidade.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Desculpe. Offline por um tempo.

sábado, 17 de maio de 2008

As parábolas do reino

O uso criativo por Jesus das parábolas estabelece um exemplo para seguirmos.
1.O sonho de Deus - A idéia de "o sonho de Deus para a criação" serve muito bem.
O chamado para o arrependimento seria o chamado para reconsiderarmos nossos sonhos e para nos darmos conta do fato de serem eles incompletos e até mesmo destrutivos. O chamado à fé seria o chamado para confiarmos em Deus e em seus sonhos, o suficiente para realinharmos nossos sonhos ao de Dues, sonhando nossos pequenos sonhos dentro da realidade do seu sonho maior. O chamado à receptividade seria o chamado a receber continuamente os sonhos de Dues - um processo que, pelo menos em minha experiência, parece durar toda uma vida. O chamado ao batistmo é o chamado para que nos identifiquemos com os sonhos de Dues e para nos desassociarmos de todos os -ismos que rivalizam com eles assim como de todas as ideologias que declaram representar o maior e mais importante sonho de todos (incluindo o nacionalismo, o consumismo, o hedonismo, o conservadorismo, o liberalismo e assim por diante). E, por fim, o chamado à prática é o chamado a aprendermos a viver da forma como Deus sonhou que vivêssemos.
2.A revolução de Deus - Deus está recrutando pessoas para que se unam a um movimento revolucionário de transformação em todos os níveis.
3.A missão de Deus - Uma missão de cura- na qual você é curado de modo que se torne alguém que leva a cura a outros - seria uma metáfora apropriada do Reino de Deus.
4.A festa de Deus - o Reino de Deus é como uma festa de rua para a qual todos estão convidados.
5.A rede de comunicação de Deus - plugadas em comunicação com Deus, de modo que ele possa transferir para elas o que necessitam - não só informações, como também programa antivírus, juntamente com amor, esperança, capacitação e autoridade, propósito e sabedoria.
A rede troca informações ampliando a compreensão e o entendimento de todos os participantes.
6.A dança de Deus - Nós, humanos, interrompemos essa dança, pisamos nos pés de outros dançarinos, ignoramos o ritmo, rejeitamos sua graça, e de uma maneira geral bagunçamos com tudo. Deus, porém, enviou Jesus ao mundo para modelar um estilo d vida para nós ao ritmo da música do amor de Deus. E desde então as pessoas têm sido atraídas pela beleza de seus passos e passaram a entrar novamente na dança.
Grupo que convida todos a participar e que busca ajudar todas as tribos a mantes suas identidades e heranças únicas, enquanto são convidadas a participar da tribo das tribos, na qual todos convivem em respeito mútuo, em harmonia e amor - porque Deus é o chefe tribal universal que criou e ama a todas as tribos.
citações de A mensagem secreta de Jesus, Brian McLaren

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Coração de Pedra

Ali é o lugar ideal pra quem quiser se esconder e ser mais um na multidão.

Ali é onde os homens se abraçam mas, na hora de pagar o preço, lavam as mãos.

Ali é onde todos se encontram mas acabam se perdendo por achar que são invencíveis.

Ali não há lugar pra tristeza, pra angústia, pra dor ou pra gemidos inexprimíveis.

Deus não habita mais em templos feitos por mãos de homens.

Deus não será jamais acorrentado às paredes de uma religião.

Deus não habita mais em templos feitos por mãos de homens.

Deus não será jamais enclausurado na escuridão de quem ainda tem um coração de pedra.

Ali ninguém conhece a essência, tão somente a aparência de viver em comunhão.

Ali é onde os loucos se entendem, onde os sábios se prendem ao valor da tradição.

Um falso paraíso presente, um fanatismo distante, um cristianismo sem direção.

Ali é onde todos proíbem, onde todos permitem, onde são assim, nem "sim" nem "não".

Que vença, mesmo que haja desavença, todo aquele que repensa na crença da onipresença de Deus.

Sejamos coerentes, transparentes, reluzentes, conscientes, todos crentes que somos os filhos seus.

Na rua, no trabalho, na escola, na loja, na padaria, no posto, na rodovia, na congregação.

Que haja em nós o mesmo sentimento: que Deus habite em nosso coração!

Coração de pedra, João Alexandre

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Quanto a mim, sou pobre e necessitado, mas o Senhor preocupa-se comigo.
Sl 40:17a

Um bom feriado


Aproveite o feriado e leia esses posts de outros blogs. São muito bons. Dê uma olhada nos blogs inteiros e seja edificado, entretido, motivado, etc.
Não dirija. Leia sobre a censura aos anúncios de bebidas na televisão. Uma comparação, feita por uma fumante, com o cigarro. Eu não conheço o blog mas gostei do texto.
Menos Igreja e Mais "Happy Hour". Marco, meu chará, escreve sobre a espiritualidade surgindo em encontros informais e ocasionais.

Disciplinas espirituais. Daniel indica áudios com boas mensagens sobre as disciplinas espirituais.

Você acredita em seu amor? Daniel, de novo, postando sobre o amor de Deus com citações de Brennan Manning.

Você o conhece? Continuando com o dLIVEr, o primeiro blog que eu li. Um post que nos lembra de quem estamos falando, com quem vivemos, em quem vivemos. Facetas do caráter de Deus são muitas, todas maravilhosas.

Mais pensamentos sobre a Igreja. Sandro Baggio escreve sobre a Igreja e o compromisso de Deus com as pessoas, não instituições.

Para que o Nerd também entenda. Texto muito criativo do Wilson Tonioli. Não conheço esse blog também. Mas me surpreendi com essa narração.

A voz do amor eterno. Vítor cita Henri Nouwen e a voz do amor de Deus. Leia mais desse blog. Atenção para a frase de Mandela no título.

Entra na nova terra e Desce ao lugar do sofrimento são citações muito boas também de Henri Nouwen, feitas pelo Paulo. Vale a pena ler.

Isso não é tudo o que eu leio e gosto. Logo virão mais links por aqui. Gostei de postar isso e tenho que indicar ainda outros blogs bons. Eles têm me feito bem.

Fica aí umas leituras para o feriado. Dicas de blogs para quem visitar o meu.

Grande abraço!

domingo, 27 de abril de 2008

sábado, 26 de abril de 2008

Tempo que foge!


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não vou mais a workshops onde se ensina como converter milhões usando uma fórmula de poucos pontos. Não quero que me convidem para eventos de um fim-de-semana com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos parlamentares e regimentos internos. Não gosto de assembléias ordinárias em que as organizações procuram se proteger e perpetuar através de infindáveis detalhes organizacionais.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de “confrontação”, onde “tiramos fatos à limpo”. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário do coral.

Já não tenho tempo para debater vírgulas, detalhes gramaticais sutis, ou sobre as diferentes traduções da Bíblia. Não quero ficar explicando porque gosto da Nova Versão Internacional das Escrituras, só porque há um grupo que a considera herética. Minha resposta será curta e delicada: - Gosto, e ponto final! Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: “As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos”. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos.

Já não tenho tempo para ficar dando explicação aos medianos se estou ou não perdendo a fé, porque admiro a poesia do Chico Buarque e do Vinicius de Moraes; a voz da Maria Bethânia; os livros de Machado de Assis, Thomas Mann, Ernest Hemingway e José Lins do Rego.

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita para a “última hora”; não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja andar humildemente com Deus. Caminhar perto dessas pessoas nunca será perda de tempo.

Ricardo Godim, recebi por e-mail, pesquisei e encontrei esse texto.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

O amor sempre encontra um jeito.
A indiferença sempre arruma uma desculpa.
Autor anônimo

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Reino à mão

"Pode ser que tenhamos pressionado as pessoas a serem boas ou moralmente firmes, corretas ou ortodoxas para que evitassem o inferno após a morte, mas não as inspiramos com a possibilidade de se tornarem lindas e de frutificarem a fim de que a terra fosse curada nesta vida. Podemos tê-las instruído a como ser um bom batista, presbiteriano, católico ou metodista aos domingos, mas não as treinamos, desafiamos ou inspiramos a viver o Reino de Deus em seus empregos, na sua vizinhança, em suas famílias, escolas, clubes ou associações entre um domingo e outro.
Pode ser que tenhamos tentado fazer com que se 'comportassem' - sendo cidadãos tranqüilos de seus reinos terrenos e consumidores ativos com suas economias terrenas - mas não os estimulamos e inspiramos a investir e sacrificar seu tempo, sua inteligência, seu dinheiro e sua energia na causa revolucionária do Reino de Deus. Não, muitas vezes Karl Marx é que estava certo: usamos a religião como uma droga, de modo que pudéssemos suportar as terríveis condições de um mundo que não é o Reino de Deus. A religião se tornou nosso calmante para que não ficássemos tão indignados com a injustiça. Nossa religiosidade, portanto, nos ajudou, e favoreceu os que estavam no poder e que não queriam mais nada além de conservar e preservar a posição injusta que lhes era tão lucrativa e confortável.
O que aconteceria - fico imaginando sentado ao contemplar os magníficos vitrais de uma das catedrais de Praga, Viena, Londres ou Florença - se provássemos novamente as boas notícias de Jesus - não como um calmante, mas como um vibrante, potente e novo vinho que nos enchesse de gozo e de esperança de que um mundo melhor é possível? E se, inebriados por esse novo vinho, lançássemos fora nossa inibição e de fato começássemos a agir como se realmente o Reino escondido, porém real, de Deus estivesse próximo, à mão?"
A mensagem secreta de Jesus, Brian McLaren

para Lila

Jesus: centro


Brennan Manning escreveu

"Jesus não é apenas o centro do evangelho, mas é todo o evangelho. Os quatro evangelistas nunca se concentram em outra personalidade. Personagens marginais permanecem na periferia, e não se permite a mais ninguém tomar o centro do palco. Vários indivíduos são apresentados somente para interrogar, responder ou reagir a Jesus. Nicodemos, a mulher samaritana, Pedro, Tomé, Caifás, Pilatos e muitos outros são secundários em relação à pessoa de Jesus.

E é assim que deve ser, poi o Novo Testamento é uma visão da salvação. Quando baixar a última cortina, Jesus eclipsará todas as pessoas famosas, formosas e poderosas que já viveram. Cada homem e cada mulher serão considerados conforme sua resposta a Jesus."

e reforçou

"Num dia e hora exatos, conhecidos somente pelo Pai (Mt 24:36), Jesus Cristo, o Rei da glória, ofuscará o brilho de todas as pessoas formosas, famosas e poderosas que já viveram. Cada homem, cada mulher que alguma vez respirou será avaliado e medido somente em termos de sua relação com o carpinteiro de Nazaré."

Gostei.

Convite à loucura.

domingo, 20 de abril de 2008

Os trabalhadores são poucos

Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças. Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Então disse aos seus discípulos: "A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita". (Mt 9:35-38)

"É verdade que muitos estão orando por um reavivamento mundial. Mas seria mais apropriado para nossa época, e mais bíblico, que essas orações fossem feitas para que o Senhor da colheita levantasse e impulsionasse obreiros que pregassem, de forma destemida e fiel, as verdades que farão eclodir tal reavivamento."
A. W. Pink

Algumas citações


Você já notou como se tem orado por reavivamento e quão pouco reavivamento tem acontecido? Creio que o problema é que estamos tentando fazer com que a oração substitua a obediência, e isso simplesmente não vai funcionar. Orar pedindo reavivamento enquanto se ignora o claro preceito lançado nas Escrituras é desperdiçar um monte de palavras e não obter nada pelo nosso esforço. A oração será eficaz quando deixarnos de usá-la como uma substituta da obediência.

A. W. Tozer


Terra cheia de céu,

e todo arbusto em chamas por Deus.

Mas só aquele que enxerga

tira suas sandálias.

Os outros sentam ao redor

colhendo amoras.

E. B. Browning, poetisa inglesa

sábado, 19 de abril de 2008

Meus eventos espirituais

"Corremos para as igrejas onde a mensagem parece boa e nos sentimos energizados e enaltecidos - mas nunca desafiados ou condenados. Henri Nouwen diz: 'Não é de se surpreender que as experiências espirituais estejam crescendo rapidamente por todos os lados e se tornando artigos comerciais altamente procurados. Multidões correm para lugares e pessoas que prometem intensas experiências de comunhão, emoções catárticas de alegria e doçura e sensações libertadoras de arrebatamento e êxtase. Em nossa desesperada necessidade de plenitude e incessante busca pela experiência da intimidade divina, somos todos propensos a construir nossos próprios eventos espirituais'."
Convite à loucura, Brennan Manning

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Em Cristo ou Impostor?

"Uma mulher de 23 anos, fazendo um trabalho acadêmico na Universidade de Paris, escreveu o seguinte:
Para mim, um cristão é ou um homem que vive em Cristo ou um impostor. Vocês, cristãos, não percebem que é com relação a isto - ao testemunho quase superficial que vocês dão de Deus - que nós os julgamos. Vocês deveriam irradiar Cristo. Sua fé deveria fluir para nós como um rio de vida. Deveriam nos contaminar com seu amor por ele. É assim, então, que Deus, que era impossível, se tornaria possível para o ateu e para aqueles de nós cuja fé oscila. Não podemos evitar o choque, o transtorno e a confusão que sentimos ao ver um cristão que seja, de fato, como Cristo. E não o perdoamos quando ele não o é."
Convite à loucura, Brennan Manning

segunda-feira, 14 de abril de 2008

A Palavra e a minha trindade

"Entendendo que a Bíblia existe primordialmente para revelar a Trindade, Petterson então fala-nos de uma leitura formativa da Bíblia, aquela na qual a presença do Pai, do Filho e do Espírito Santo vai nos formando espiritualmente em sua imagem. Na verdade, nesta leitura formativa, nós é que somos lidos e formados pelo texto e não ao contrário, sendo a Lextio Divina o meio por excelência através do qual podemos exercitá-la. Sendo assim, nossa vida é formada por um texto além e acima de nós e não por nós mesmos.
O principal obstáculo para que tal leitura formativa aconteça está no fato de que em nossos dias há uma tendência na qual o nosso ego com suas múltiplas necessidades se torna o "texto" autoritativo a partir do qual a nossa vida é formada. É este enlevamento do Eu ao patamar divino que Petterson chama de uma Nova Trindade. Assim o Pai, o Filho e o Espírito Santo é substituído por uma trindade individual e pessoal composta pelas minhas santas vontades, santas necessidades e santos sentimentos...
Não tenhamos dúvida que esta soberania do ego expressa nas três "pessoas" (nossas vontades, necessidades e sentimentos) desta nova "santíssima" trindade, faz de nós mesmos e não da Bíblia reveladora da Trindade, o texto autoritativo pelo qual vivemos! Engana-se porém, quem pensa que neste contexto a Bíblia deixa de ser lida, ela é lida sim, mas sua mensagem é tragada pela nossa santa vontade, necessidade e sentimento, transformando-se em um subproduto de quem somos. Ao invés de sermos formados pela Trindade da Bíblia, a Bíblia é formada pela trindade do nosso Ego."
Eduardo Rosa Pedreira, no Renovaré Brasil, falando sobre um livro de Eugene Petterson.
Veja todo o artigo aqui.

Talvez seja daí que surge tanta teologia disso e daquilo. Talvez seja por isso também que o povo que está em volta de Jesus passa a ser a multidão que dificulta o conhecimento de Jesus de quem realmente deseja conhecê-lo. Esse povo que vê a palavra de Jesus segundo o seu ego faz parte uma multidão que atrapalha os Zaqueus que querem conhecer o Mestre (Lc 19), atrapalha os paralíticos em seus leitos que, às vezes, têm a felicidade de encontrar amigos que subam ao telhado por ele (Mc 2)...
A oração fica no meu coração: Senhor, eu reconheço que, muitas vezes, faço parte dessa multidão. Não me permita continuar assim. Abre os meus olhos, tira o véu que os encobre pra eu ver as maravilhas da tua lei. Quero ler a tua palavra apesar do meu ego e ao ler permitir que ela transforme o meu ser conforme o teu caráter. Destronando minhas vontades, necessidades e sentimentos. Ensina-me a desfrutar e valorizar as profundezas do que tu dizes. Quero subir na árvore para ter uma visão melhor de ti, por cima de toda a multidão. Quero entrar pelo telhado se for preciso. Se eu não puder com minhas próprias pernas, manda amigos que te conhecem melhor que eu para me conduzirem. Me ensina a subir na árvore, me ensina a carregar leitos, quebrar telhados, chegar até você. Quero que essas palavras sejam sinceras, acima de toda a minha hipocrisia.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Em seus passos o que faria Jesus?

Divulgando também a notícia de que a Editora Mundo Cristão disponibilizou a obra para download gratuito na íntegra.

Em seus passos o que faria Jesus é apontado como o nono livro mais vendido da história. Somente em inglês, suas vendas ultrapassam os 50 milhões de exemplares.
Veja o hotsite onde você poderá fazer o download.

Seu amor se insinua

Mas o "fiel Criador" não se presta a objeto de especulação. O seu amor se insinua.
A conspiração divina, Dallas Willard

quarta-feira, 9 de abril de 2008

"Prédicas de Santo Agostinho encontradas na Alemanha

Cristãos, apreciadores do Cristianismo ou interessados no assunto tiveram boa notícia semana passada: seis textos desconhecidos de Santo Agostinho (354-430), um dos maiores filósofos e teólogos do Cristianismo, foram encontrados nos fundos da Biblioteca Universitária e Científica de Erfurt, na Alemanha. A notícia não é muito clara se o autor do manuscrito é de fato Santo Agostinho ou um de seus discípulos, mas afirma que o autor das prédicas (que, segundo o dicionário, são “Falas em que se faz exortação moral ou religiosa; PREGAÇÃO; SERMÃO”) é de fato o Bispo de Hipona. O conteúdo dos textos ainda não foi integralmente revelado, sabe-se apenas o que a pesquisadora Isabella Schiller revelou, que uma das prédicas falado do “amor ao próximo em forma de esmola” e dois falam “das festividades dedicadas aos mártires, criticando em uma delas o costume da época de comemorar essas festas com o consumo abusivo de álcool”."

terça-feira, 8 de abril de 2008

Porque o fato é que hoje carecemos da intenção sincera e ansiosa de levar o povo de Jesus à obediência e à abundância por meio da instrução.
A conspiração divina, Dallas Willard

segunda-feira, 7 de abril de 2008

De volta à Igreja

O que acho legal é que sempre há alguém, na maioria das denominações, que tenta viver na dependência de Deus, ouvindo sua voz e buscando agradar só o seu coração, não o próprio ego.
Sei que ir à mesma "i"greja não é congregar. Mas, a melhor opção pra mim ainda é freqüentar a "i"greja. Ainda que isso só não baste, é importante pra mim. Me ajuda a conhecer e manter amizades que se desenvolvem no cotidiano. Encontro pessoas que também se questionam sobre o verdadeiro papel do povo de Deus e, juntos, podemos orar e fazer o melhor a respeito.
Acredito também que Deus fará a transformação, ou volta ao modelo que ele pensava ao falar ekklesia, nessas instituições e que isso começará por dentro delas (cada pessoa disposta a ver a Igreja de Jesus gloriosa é uma engrenagem no processo) simultaneamente à toda a movimentação de cristãos que não estão inseridos nesse contexto, os que "não congregam". Como característica dessa movimentação é importante dizer não para as "placas" e amar, conviver e trabalhar junto com pessoas que confiem em Jesus apesar do nome e dos detalhes diferentes. Estar disposto a cooperar no Reino de Deus.
Segundo Dallas Willard, duas "coisas que têm obcecado a igreja visível" são justamente a "conformidade exterior à fraseologia dos ensinamento de Jesus a respeito dos modos de agir em situações específicas; e a confissão da doutrina perfeitamente correta" pois "não proporcionam um trajeto de crescimento e aperfeiçoamento pessoal que normalmente resulte em pessoas aptas a 'ouvir e fazer'. De duas uma: ou esmagam a mente e a alma humanas, separando as pessoas de Jesus, ou então geram legalistas preconceituosos e especialista em teologia, gnte que 'com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim' (Is 29:13). O mundo certamente não precisa de mais gente assim". Concordo com ele.
Assim penso que faço parte desse retorno e, por isso, é importante (para mim, como um chamado específico) estar inserido em uma "i"greja, uma parte da grande Igreja.
A citação, pra variar, é de A conspiração divina. As idéias talvez tenham saído meio fora de ordem ou soltas. É que estou com muito sono e não costumo escrever para leitores. Ficou mais parecido com as idéias que escrevo no caderno das minhas heresias. hauHAUH
Isso aqui eu adicionei depois (dia 08/04/08 as 10:15):

Comecei esse post como um comentário a Volta o cão arrependido... do Thiago Mendanha e ele, ao comentar o meu post, criou um post também, Congregar ou não, eis a questão...

A minha intenção foi escrever sobre mim, a minha função em especial e coisas que eu tenho visto com uma perspectiva minha. hehe Talvez por isso a primeira pessoa. E reconheço os cristãos que "não congregam" (e aí eu uso esse termo não por acreditar que não congregam realmente, mas por ser assim que são conhecidos) como parte fundamental no processo da "volta à Igreja".

Discipulado no reino

Importa admitir que numerosos programas de diversas congregações e organizações maiores se anunciam como programas de discipulado. Não desejamos diminuir o bem que fazem - e é fato que fazem muito bem. Aqui tenho em mente desde a escola dominical e cursos e seminários especiais até os programas do gênero "doze passos", além de vários tipos de movimentos nacionais.
Entretanto, muito freqüentemente a ênfase recai nalgum ponto de modificação de comportamento. Isso é útil, mas não é adequado à vida humana. Não atinge a raiz do problema humano. Essa raiz é o caráter da vida interior, e é isso que enfatiza Jesus e seu chamado ao discipulado no reino.
A conspiração divina, Dallas Willard

domingo, 6 de abril de 2008

Alegria

A alegria é o nosso quinhão na comunhão com Deus. Alegria combina com confiança e criatividade. A alegria é também dele, e não se trata de uma alegriazinha qualquer, de uma "alegria" contida. É uma alegria robusta, plena de intenso júbilo. Pois nada menos que a alegria pode nos sustentar na justiça do reino que nos domina - algo de fato pesado e difícil de suportar.
A conspiração divina, Dallas Willard

Discípulos

Em suma, os discípulos ou aprendizes de Jesus, como o Novo Testamento o reconhece, são aqueles que firmemente decidiram aprender com ele a viver a sua vida, seja qual for essa vida, como o próprio Jesus o faria. E quanto mais aprendem, mais planejam agir assim - tomando as providências necessárias, progressivamente organizando e reorganizando os seus afazeres. Tudo isso, de um modo ou de outro, irá acontecer dentro dessa comunidade especial e inabalável que Jesus estabeleceu na terra. E os aprendizes, logicamente, estão, portanto, em posição ideal para aprender a fazer tudo o que Jesus ensinou. Esse é o processo previsto na Grande Comissão de Mt 28:18-20.
A conspiração divina, Dallas Willard

sexta-feira, 4 de abril de 2008

A terrena "Sociedade de Jesus"

O pressuposto do projeto de Jesus para os seus seguidores na terra era que eles viveriam como seus alunos e colaboradores. Eles o achariam tão admirável em todos os aspectos - sábio, belo, poderoso e bom - que constantemente buscariam estar na sua presença para receber dele orientação, instrução e auxílio em todas as facetas das suas vidas. Pois ele é de fato o cabeça vivo da comunidade do amor em oração em todo o tempo e espaço.

Com base nesse pressuposto, a promessa que fez ao seu povo foi que com ele estaria em todos os momentos, até que este "século" finde e o universo entre numa nova fase (Mt 28:20; Hb 13:5-6). Em termos mais gerais, as provisões que ele fez para o seu povo durante este período em que vivemos hoje são provisões feitas para aqueles que se conduzem, precisamente, como aprendizes dele na vida do reino. Qualquer um que não seja um constante aluno de Jesus, e que mesmo assim leia as grandes promessas da Bíblia como se fossem pra ele, é como aquele que tenta descontar um cheque da conta de outra pessoa. Na melhor das hipóteses, ele só consegue fazê-lo esporadicamente.

O resultado desse contínuo estudo com Jesus seria naturalmente aprender a fazer tudo o que fazemos "em nome do Senhor Jesus" (Cl 3:17); ou seja, com autorização dele ou em lugar dele: como se ele mesmo o fizesse. E logicamente isso significa aprender a "guardar todas as cousas que vos tenho ordenado" (Mt 28:20). Na sua presença a nossa vida interior se transformará, e seremos pessoas para quem o modo de agir de Jesus é o natural (e sobrenatural).

A conspiração divina, Dallas Willard

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Distrações

Para verificar onde você realmente está com o Senhor, recorde o que o entristeceu no último mês. Foi a consciência de que você não ama Jesus o suficiente? De que você não buscou a sua face em oração com a freqüência necessária? De que você não se importou com sua pessoa o bastante? Ou você ficou abatido por causa de uma falta de respeito, de uma crítica de uma figura de autoridade, ou em razão de suas finanças, da falta de amigos, de medos sobre o futuro ou pelo aumento de peso? De modo inverso, o que o alegrou no último mês? Uma reflexão sobre a sua eleição para a comunidade cristã? A alegria de dizer suavemente: "Aba, Pai"? A tarde em que você se retirou durante duas horas, levando só o evangelho como seu companheiro? Uma pequena vitória sobre o egoísmo? Ou as fontes de sua alegria foram um carro novo, uma roupa de grife, um grande evento, o sexo, um aumento salarial ou a perda de meio quilo em seu peso?

Convite à loucura, Brennan Manning

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Idéias que transformam

É claro que dá


Como pode uma idéia fazer tanta diferença. Dallas Willard fala que "o poder das meras idéias é uma questão em relação à qual os intelectuais comumente se enganam; e, intencionalmente ou não, com isso acabam também desencaminhando o público. Eles sempre se encarregam dos fatores mais poderosos da vida humana, as idéias, e acima de tudo, idéias a respeito do que é bom e correto. E o modo como eles as manipulam e vivem permeia todo o nosso mundo, em todos os seus aspectos." E "os acontecimentos do mundo e da vida das pessoas navegam sobre as águas de um mar ideológico." Deve ser por isso que eu gosto de livros. Eles tratam de idéias.
As idéias transformam. Principalmente quando elas estão fundamentadas na Verdade, Jesus. Ele mesmo disse que conheceríamos a verdade e ela nos libertaria.
Estou escrevendo porque hoje eu li um post que mexeu com as minhas idéias. Não é nada muito extraordinário mas eu gostei. Ele fala sobre a Igreja. É como uma resposta a um comentário de um leitor anônimo falando sobre as idéias do Thiago sobre ela.
Há algum tempo que eu penso em como nós estamos deixando de viver a comunidade que Jesus planejou. Queria muito poder experimentar ser parte de uma Igreja sadia, completa, em unidade, que não precisa de muita coisa, onde Jesus é suficiente. Mas não sei como vivenciar isso.
Então, desde que eu comecei a ler sobre a igreja emergente achei idéias sobre a Igreja com as quais eu concordo. Porém, hoje tive a impressão de que o que eu lia, e concordava intelectualmente, eu não vivo e nem tinha um plano de viver tão logo. Enquanto eu lia o post eu pensei que realmente dá pra ser Igreja da forma como Deus planejou e muitos cristãos têm experimentado isso. É claro que dá. Às vezes, ignoro e continuo sem nenhuma expectativa de mudança talvez por achar impossível, apesar dessas idéias serem tão bonitas. Dá pra essa Igreja sem placa, esse Jesus sem plus, ser vivido por mais gente.
Eu concordo que Deus tem operado grandes obras por meio das igrejas que não deixam de ser uma bênção. Mas eu quero mais de Deus, mais da comunidade que ele prepara para nós, da qual eu faço parte. Eu quero me comprometer com essa idéia que tem transformado minha forma de pensar.

As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja de Jesus

segunda-feira, 31 de março de 2008

Porque te amo, Jesus (2)

Coloquei um vídeo com a música "Porque te amo", Diante do Trono, já citada em outro post. Eu gostei da letra. A gravação ocorreu no 9º Congresso Internacional e Louvor e Adoração Diante do Trono.

Aqui vai outra canção nova com um vídeo também. Não sei se tem nome, mas no vídeo está "Tu és".

Tu és oásis no deserto
Água fresca num dia quente
Se eu não parar pra beber de Ti
Eu não poderei prosseguir
Tu és o pão que alimenta
Verdadeira comida
Se eu não parar pra comer de Ti
Eu não poderei prosseguir
Tu és a fonte de vida no meu interior
Tu és o pão da vida
Eu viverei por Ti

blog da Ana

Teste de paternidade na farmácia

Quem é o pai? A resposta pode estar na farmácia.
Agora sim, saber quem é o pai já ficou mais fácil e, assim como para verificar uma gestação, o kit do teste de paternidade pode ser comprado em farmácias dos EUA.

"Testes de DNA que permitem verificar a paternidade foram disponibilizados nesta quarta-feira (26) nas farmácias americanas.
O Identigene, um laboratório americano, pôs à venda por 30 dólares em 4.363 farmácias o "Rite Aid" - um exame de paternidade, através da saliva, que é depois enviada por correio para ser analisada, a um custo adicional de 119 dólares. Os resultados são devolvidos nos cinco dias seguintes, por carta, correio eletrônico ou site na internet.
A empresa já testou a venda com êxito destes testes na costa oeste dos Estados Unidos durante três meses. "A demanda foi muito forte, as vendas foram consideradas significativas e o Identigene foi inundado por pedidos de informação de pessoas que queriam encontrar" o kit, informou a empresa em comunicado.
Entre os compradores há muitas mulheres que querem se assegurar da paternidade de uma criança, assim como crianças ou adultos que querem encontrar seus pais.
Os resultados destes testes vendidos sem receita médica não são, de qualquer forma, admitidos nos tribunais em caso de ações judiciais, quando são exigidas provas mais precisas e mais caras."

Worship

Worship is a huge thing.

We look forward to worship every week.

When the music includes one of our favorites, we say, "the worship was great!"

When the music stinks, we yawn and wonder why the worship wasn't very good.

We leave churches because of the "worship style".

Worship is a huge thing.

Have you ever wondered if we're more concerned with what worship does FOR us

and less concerned with the Object of our worship?

It seems like it's more about what we GET not what we GIVE

It would be like taking a gift to a friend's birthday party, but keeping it fo ourselves.

Worship is all about GIVING our lives (again) to God.

Worship is not about the feelings we receive when we sing.

Worship ir not about convincing God to bless us.

Worship is not about whether or not the guitar is too loud.

Worship is not about what's happening on the stage.

Worship is not about entertainmente, lighting, or sound.

Worship is not about us at all.

IT'S NOT ABOUT US!

It's about Him.

And we enter through the gateway of the cross.

At the cross, we surrender

At the cross, we love

At the cross, we cry

At the cross, we dream

At the cross, we give up

At the cross, we shut up

At the cross, we kneel

At the cross, we confess

We look at God, and place Him above all else.

Because He is worth it!

Life gets crazy and painful.

JOB STRESS DIVORCE DEATH ADDICTIONS PARENTING LONELINESS

No one can deny that.

No one is asking you to pretend that those things aren't affecting you.

DON'T PRETEND

You're just being invited to bring that stuff to the cross, and to simply gaze at Jesus. And as you look at Him, allow your response to be...

Worship

Não soube traduzir. Mas gostaria de postar o texto em português também.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Bono e a Graça

Estive lendo uns textos e assistindo uns vídeos onde o Bono, U2, fala sobre a graça, sobre Jesus. Gostei e quero compartilhar aqui no blog.


"É um conceito espantoso que o Deus que criou o universo possa estar buscando companhia, um relacionamento verdadeiro com pessoas, mas o que me mantêm de joelhos é a diferença entre a Graça e Carma. Eu realmente creio que nós saímos da esfera do Carma para a da Graça… Você vê, no centro de todas as religiões está a idéia de Carma. Você sabe, o que você faz retorna para você: um olho por olho, um dente por dente, ou em física - nas leis da física - cada ação recebe uma reação igual e oposta. Está claro para mim que Carma está no centro mesmo do universo. Tenho certeza disso. Entretanto, ao lado vem essa idéia chamada Graça para toda aquela coisa de “você colhe o que você planta”. A Graça desafia a lógica e razão. O amor interrompe, se você quiser, as consequências de suas ações, o que em meu caso, são boas novas de fato, porque eu fiz muita coisa tola… Eu estaria num grande problema se Carma fosse finalmente meu juíz. Eu estaria na m—. Não é uma desculpa pelos meus erros, mas eu estou me agarrando à Graça. Estou me agarrando que Jesus levou meus pecados na Cruz, porque eu sei quem sou, e espero não ter que depender de minha religiosidade. (p. 203-204)

Bono, do U2, em In Conversations with Michka Assayas"



Discernimento x condenação

"Para evitar condenar os outros não precisamos - nem podemos - abandonar a prática, perfeitamente aceitável, de distinguir e discernir as condições das coisas. Podemos, porém, nos habituar a cobrar responsabilidades das pessoas e discutir com elas as suas faltas - até administrar penalidades, caso, por exemplo, sejamos seus superiores - sem no entanto atacar o seu valor de seres humanos nem rejeitá-las. A prática inteligente do amor-caridade possibilitará isso."
"Simplesmete não podemos abrir mão do discernimento, e o próprio Jesus, na segunda metade de Mateus 7, insiste justamente na necessidade de discernir - ou, nesse sentido, de "julgar". Mas precisamos abrir mão, sim, da prátia de condenar as pessoas, e isso não será nem um pouco difícil desde que entendamos claramente o que é condenar, desde que já tenhamos nos livrado previamente da ira e do desprezo."
A conspiração divina, Dallas Willard

Condenação


Dallas Willard fala sobre a condenação e o fato de muitas pessoas, hoje em dia, estarem tão acostumadas com o condenar o outro que não acham possível viver sem fazê-lo.

"Mas, afinal, o que é que fazemos de fato quando condenamos alguém? Ao condenar o outro, na realidade dizemos que ele é mau, extrema e até irrecuperavelmente mau - mau como um todo, e, portanto, reprovável. Aos nossos olhos, o condenado forma entre os refugos da vida humana. Não é aceitável. Nós o sentenciamos à exclusão. Certamente podemos aprender a viver bem e felizes sem fazer isso."

"Se, como muitas vezes dizem os cristãos, somos de fato "diferentes" como seguidores de Cristo, esse é um aspecto que deveria transparecer mais nitidamente em nós. Não devemos condenar, nem devemos "acolher" a condenação a nós dirigida."

"A condenação sempre implica algum grau de hipocrisia e de distanciamento daquele que condenamos."

"A condenação é a trave no nosso olho. Ele sabe que o mero fato de estarmos condenando alguém mostra que o nosso coração não tem a justiça do reino de que ele vem falando. A condenação - especialmente com os seus acompanhamentos mais comuns: a ira, o desprezo e a hipocrisia - nos deixa cegos para a realidade da outra pessoa. Não conseguimos "ver claramente" para ajudar o nosso irmão, pois nem podemos ver o nosso irmão. E jamais saberemos ajudá-lo de fato enquanto não nos transformarmos naquele tipo de pessoa que não condena. Ponto final. "Tirar a trave" não é uma questão de corrigir algo que esteja errado em nós, para então podermos condenar melhor (ou com maior eficácia) os nossos entes queridos."

A conspiração divina, Dallas Willard

quarta-feira, 26 de março de 2008

Motivo do ato

RECONHECIMENTO humano
O desejo de reputação ou respeito religioso imediatamente nos arrasta à justiça dos escribas e fariseus, pois esse desejo sempre se concentra inteiramente nos atos visíveis, e não na origem dos atos, no coração.
Sempre que usarmos, para nós ou para os outros, a perspectiva de reconhecimento como motivo para fazer o que se deve fazer por si mesmo, estaremos usurpando o papel de Deus na nossa vida.
[...], a nossa intenção é determinada por aquilo que queremos e esperamos do nosso ato. Quando realizamos boas obras para ser vistos pelos homens, fazemo-lo porque o que estamos buscando é algo que procede dos homens. Deus reage conforme as nossas expectativas. Quando queremos apenas aprovação e estima humanas, e fazemos o que fazemos só por isso, Deus gentilmente se afasta porque, conforme o nosso desejo, o caso não lhe diz respeito.
A conspiração divina, Dallas Willard

terça-feira, 25 de março de 2008

Guardar a lei

Mas a questão é: como guardar a lei? Jesus sabia muito bem a resposta dessa pergunta, e é por isso que ele disse aos que quiseram saber como realizar as obras de Deus que depositassem a sua confiança naquele que Deus enviara (Jo 6:29). Ele sabia que não podemos guardar a lei tentando cumpri-la. Para alcançar sucesso nessa empresa, é preciso mirar algo diferente e maior. É preciso pretender tornar-se o tipo de pessoa de quem naturalmente emanam as obras da lei. A macieira produz maçãs de maneira fácil e natural, pois é da sua natureza. Eis aqui a coisa mais crucial a lembrar se realmente pretendemos compreender o retrato que faz Jesus da essência do reino no Sermão do Monte.
E aqui também reside o erro fundamental do escriba e do farizeu. Eles se concentram nos atos que a lei exige, e elaboram complicadas e detalhadas especificações sobre quais são esses atos e de que maneira eles devem ser realizados. Geram também imensa pressão social para impor a conduta conforme à sua interpretação da lei. Preocupam-se desmedidamente em fazer o certo e em alcançar reconhecimento por isso.
Mas os aspectos íntimos da sua personalidade - o seu coração e o seu caráter - ficam livres para contrariar a própria lei de Deus. E o coração, é claro, acaba triunfando das suas intenções e providências conscientes, levando-os na verdade a fazer o que sabem ser errado. As suas palavras especialmente, revelam o conteúdo do seu coração (Mt 12:34). E a sua necessidade de parecer justos "diante dos homens" (Mt 6:1) os leva à hipocrisia. A hipocrisia se torna o espírito, ou "fermento", que permeia e tinge toda a sua existência (Lc12:1).


Os atos não surgem do nada. Eles revelam fielmente aquilo que está no coração, e podemos saber o que há no coração observando os atos. De fato, todos sabem fazê-lo. Isso faz parte do que significa ser um homem mentalmente capaz. O coração não é um mistério no plano das relações humanas triviais. Enxergamos facilmente o que há no coração uns dos outros.
É a vida espiritual da alma que devemos buscar transformar, pois então a conduta correta nos será fácil e natural. Não adianta tentar o inverso.
A conspiração divina, Dallas Willard

sábado, 22 de março de 2008

Porque te amo, Jesus

Vou colocar aqui uma letra de uma nova canção da Ana Paula Valadão, do ministério Diante do Trono, a Jesus.


Porque te amo
Eu não quero estar aqui por obrigação
Eu não quero estar aqui por religião
Eu só quero estar aqui porque te amo
Eu não quero estar aqui pra fazer uma canção
Eu não quero estar aqui pra pedir algo de Tuas mãos
Eu só quero estar aqui porque te amo
Porque te amo eu páro todas as coisas
Porque te amo me prostro diante de Ti
Porque te amo escolho a boa parte
Que é estar aqui
Que é te adorar, Senhor
Que é te ouvir
Que é estar aqui
Porque te amo
Te amo, Senhor
Eu te amo, Senhor



Eu gosto muito desse ministério, creio no compromisso que tem com Deus e com a Igreja Brasileira. Espero que essa oração esteja no meu coração sempre quando eu estiver com um violão ou um teclado e seja cantada por muitos "músicos gospels" que andam por aí.



Peguei a letra no blog da Ana.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Esqueci do Cordeiro

Mas lembrei do chocolate...

"As crianças de hoje em dia não compreendem o significado da Páscoa... O Tyrson nem acredita mais no coelhinho..."


Vou sugerir aqui um post do Thiago Mendanha sobre a Páscoa.

"Me entristece ver que as pessoas na grande maioria sequer compreendem, de fato, e vivenciam o verdadeiro sentido da Páscoa. Me entristece mais ainda saber que uma celebração 'cristã' (logo, vocês não concordariam que deveria ser celebrada apenas por cristãos?) não passa de uma engajada comercial resultante de uma sociedade extremamente capitalista e consumista. Vejo classes diversas comemorando a Páscoa. Pessoas que nem cristãs são celebram a data. Não é mais uma particularidade dos santos e remidos, salvos pelo sangue de Cristo, o Cordeiro Pascal, estes, sim, os que importam comemorar a festa. Mas, não é o que vemos... Só pra ter idéia: você digita no sistema de busca de imagens do Google a palavra 'páscoa' e... Tchannn Rammm... Aparecem muitas imagens de Jesus Cristo, umas na cruz, outras da ressurreição, algumas com os discípulos na última Ceia, ainda outras até retratam o êxodo do povo Hebreu do Egito, a passagem pelo Mar Vermelho... Nãoooooo.... imagine!? A tela se enche de coelhinhos fofinhos coloridinhos e ovinhos de chocolate doces e apetitosos... essa é a realidade! Caramba, me sinto como o único chato que realmente se importa com a pureza da uma Tradição válida (se é para observar uma Tradição, que seja livre de corrupções culturais pagãs e sem o menor vínculo com o sentido real da Tradição)."

terça-feira, 18 de março de 2008

DEUS É!

O Ser eterno, independente e existente por si mesmo; o Ser cujos propósitos e atos emanam de si mesmo, sem motivo ou influência externa; o Ser que detém o domínio absoluto; a mais pura, a mais simples, a mais espiritual de todas as essências; infinitamente perfeito e eternamente autosuficiente, nada necessitando daquilo que ele fez; ilimitável na sua imensidão, inconcebível no seu modo de existência e indescritível na sua essência; conhecido plenamente só por si mesmo, pois uma mente infinita só pode ser plenamente compreendida por si mesma. Em suma, um Ser que, em vista da sua infinita sabedoria, não pode errar nem ser enganado e que, em vista da sua infinita bondade, só pode fazer o que é eternamente justo, correto e bom.
Por Adam Clarke. Citado por Willard em A conspiração divina de Cyclopaedia of Biblical, Theological, and Ecclesiastical Literatura, v. 3


Lendo esse texto eu pensei, não pela primeira vez, mas de uma forma nova e empolgante, em como Deus é totalmente livre. Todos seus "atos emanam de si mesmo" ao passo que nós, se não estamos ligados a Ele, somos influenciados por circunstâncias, emoções e toda a "bagagem do passado".


Veja também o post em dLIVEr blog com um vídeo muito legal sobre Deus, o Rei.

segunda-feira, 17 de março de 2008

Polêmica em horário nobre

A polêmica sobre os evangélicos na novela "Duas Caras"

A novela "Duas Caras", exibida em horário nobre na rede Globo, traz um triângulo amoroso que, recentemente, foi linchado em defesa da "moral e dos bons costumes" por um grupo de fanáticos evangélicos. Suas cenas têm gerado grande discussão entre o meio cristão por passar uma imagem distorcida dos ensinamentos de Jesus, mas deveriam nos estimular a praticar o amor genuíno, como Ele nos ama e aceita quem quer que deseja sua presença. Que possamos refletir o seu caráter amando e acolhendo a todos, estimulando quem quiser conhecer e seguir o Mestre. Confira a reportagem do programa Domingo Espetacular, da rede Record, com cenas da novela, trechos da revista Veja e comentários.

Igreja de Jesus

De sua viagem à Rússia trouxe a sensação de nunca ter visto um povo tão sedento de Deus. Da China, a convicção de que Deus se manifesta onde sua presença é desejada. Ali o evangelho foi proibido, os missionários foram expulsos, e os chineses puderam contar somente com o Espírito Santo. Quando as portas voltaram a se abrir, ficou evidente que o Espírito saiu-se muito bem sem a ajuda do ocidente.
Yancey me aguça a curiosidade sobre os caminhos de Deus na terra. Como é que os cristãos do primeiro século se viravam para ler os textos inspirados quando o cânon ainda nem se estabelecera? Como é que os cristãos da Idade Média se encontraram com Jesus, numa época em que quase ninguém sabia ler? Como?
Um amigo me disse que “a igreja de Cristo está sempre bem, pois é ele que cuida dela”. É, faz todo sentido. Precisamos redescobrir a inventividade de Deus.
Marson Guedes falando sobre “Descobrindo Deus nos lugares mais inesperados” de Philip Yancey na revista Seu Mundo (ano I, núm. 04)

sábado, 15 de março de 2008

Temer o Leão

"...ele é o Rei dos Bosques, filho do grande Imperador de Além-Mar? Então não sabem quem é o rei dos animais? Aslam é um leão... o Leão, o grande Leão!
– Ah! – exclamou Susana. – Estava achando que era um homem. E ele... é de confiança? Vou morrer de medo de ser apresentada a um leão.
– Ah, isso vai, meu anjo, sem dúvida – disse a Sra. Castor. – Porque, se alguém chegar na frente de Aslam sem sentir medo, ou é o mais valente de todos ou então é um completo tolo.
– Mas ele é tão perigoso assim? – perguntou Lúcia.– Perigoso? – disse o Sr. Castor. – Então não ouviu o que Sra. Castor acabou de dizer? Quem foi que disse que ele não era perigoso? Claro que é, perigosíssimo. Mas acontece que é bom. Ele é REI, disse e repito."
C. S. Lewis em As crônicas de Nárnia, vol. II
Lewis remete à noção judaico-cristã do temor do Senhor. Dallas Willard, professor de filosofia na Universidade do Sul da Califórnia expõe acerca do assunto: "O temor de Deus, o provérbio nos diz, é o princípio da sabedoria (Provérbios 9:10). Conquanto não seja o fim ou o resultado da sabedoria, para ser correto, ele é o princípio indispensável, eu creio, e a principal parte. Alguém começa a ser esperto quando ele ou ela teme ser contrário a Deus: temor de não fazer o que ele quer e de não ser o que ele requer. Temor é a antecipação do mal. A pessoa inteligente reconhece que o bem estar dele ou dela repousa numa existência em harmonia com Deus e com o que Deus está fazendo em seu “reino”. Deus não é maldoso, mas ele é perigoso. É o mesmo com outras grandes forças que ele colocou na realidade. Eletricidade e energia nuclear, por exemplo, não são mesquinhas, mas são perigosos. Quem não fica, em um certo sentido, “preocupado” acerca de Deus, simplesmente não é esperto. E este é o ponto do versículo." (Renovation of the heart, p. 50)
citação de Daniel dLIVEr citando Dallas Willard. hehe
retirada de um fórum na comunidade do orkut "As crônicas de Nárnia"

Reino de Deus

Reino, segundo Alva McClain em The Greatness of the Kingdom, abrange "pelo menos três elementos essenciais: primeiro, um soberano com devida autoridade e poder; segundo, um reino de súditos a ser governados; e terceiro, o exercício efetivo da função de soberania"



"O "reino" ou "governo" de Deus é o alcance da sua vontade eficiente, a esfera na qual o que ele quer que seja feito é feito. A própria pessoa de Deus e a ação da sua vontade são os princípios organizadores do seu reino, mas tudo o que obedece a esses princípios, por natureza ou por escolha própria está dentro do reino de Deus.

A sua intenção para nós é que aprendamos a entrelaçar o nosso reino com os reinos dos outros. O amor ao próximo, corretamente compreendido, fará isso acontecer. Mas só podemos amar como devemos tendo como meta primordial a integração do nosso governo ao governo de Deus.

Só quando encontrarmos esse reino e nos estabelecermos nele é que nós, seres humanos, poderemos todos reinar, ou governar, juntamente com Deus. Então desfrutaremos de "domínios" individualizados sem isolamento nem conflito. "

citações de Dallas Willard em A conspiração divina

sexta-feira, 14 de março de 2008

Vocação original

Já me convenci de que nos próximos posts estarei compartilhando as idéias de Dallas Willard em A conspiração divina. Aos poucos vou citando e comentando esse livro que dá 'uma visão de mundo', 'ajuda-me a ver que os ensinamentos de Jesus são inteligentes, vitais e decididamente práticos' onde o autor fala 'palavras de graça e de misericória para todos nós'.
"A nossa constituição fundamental continua inalterada. Os anseios mais profundos do nosso coração confirmam a nossa vocação original. O nosso próprio ser ainda nos atribui a tarefa de 'governar' nas circunstâncias da vida, sejam quais forem. Se os animais correm risco em algum lugar, por exemplo, as pessoas geralmente acham que devem fazer alguma coisa a respeito - ou pelo menos que alguém deve fazer algo. E ainda nos consideramos como vontade criadora, como pessoas que realizam coisas, constantemente desejosos de gerar valor, ou o bem, de nós mesmos e do nosso ambiente. Somos talvez ávidos demais, em função da distorção de nossa visão e vontade por assumir a responsabilidade pela terra."
Dallas Willard em A conspiração divina

quinta-feira, 13 de março de 2008

O nosso reino

...
Mesmo o menor entre nós tem um "reino" - ou um "governo" - , um domínio que é exclusivamente nosso, onde a nossa decisão determina o que acontece.
Fomos feitos para "ter domínio" dentro de determinada parcela da realidade.

O nosso "reino" é simplesmente o alcance da nossa vontade eficiente. Tudo aquilo sobre que temos legitimamente voz ativa está dentro do nosso reino. E o fato de termos voz ativa sobre algo é precisamente aquilo que o coloca dentro do nosso reino. Ao criar os seres humanos, Deus os fez para governar, para reinar, para ter domínio dentro de uma esfera limitada. Só assim eles podem ser verdadeiramente pessoas.
Deus nos oferece a sua redenção e nos convida individualmente, cada um de nós, a ser fiéis a ele nas poucas coisas sobre as quais realmente "temos voz ativa". Ali, a cada momento, vivemos na interface entre a nossa vida e o reino de Deus no meio de nós. Se somos fiéis a ele aqui, conhecemos a cooperativa fidelidade dele a nós. Descobrimos a eficácia do seu governo conosco precisamente nos detalhes do dia-a-dia.
Quando submetemos a Deus o que somos e onde estamos, o nosso domínio ou governo se amplia.
..
vários trechos de A conspiração divina de Dallas Willard.

quarta-feira, 12 de março de 2008

COMO CRIANÇAS


“Em Lucas 18 um jovem rico vem até Jesus perguntando o que ele deve fazer para herdar a vida eterna. Ele quer ser colocado no centro das atenções. Não é coincidência que Lucas coloca a passagem de Jesus com as crianças nos versículos que imediatamente precedem a história do jovem aristocrata. As crianças contrastam com o homem rico simplesmente porque não há como discutir elas terem sido capazes de merecer o que quer que seja. O ponto central de Jesus é o seguinte: não há coisa alguma que qualquer um de nós possa fazer para herdar o Reino. Devemos simplesmente recebê-lo como criancinhas. E criancinhas não fizeram ainda coisa alguma. O mundo do Novo Testamento não tem uma visão sentimental a respeito de crianças e não nutre qualquer ilusão sobre alguma bondade inata nelas. Jesus não está sugerindo que o céu é um imenso playground. As crianças são nosso modelo porque não têm qualquer pretensão ao céu. Se estão mais próximas de Deus é porque são incompetentes, não porque são inocentes. Se recebem alguma coisa, tem de ser de presente.”
Brennan Manning em O Evangelho Maltrapilho

terça-feira, 11 de março de 2008

O SERVO-REI

Você pode rejeitar a Cristo porque ele manteve o seu livre-arbítrio realmente livre. O escritor Philip Yancey adapta uma parábola do filósofo cristão Soren Kierkegaard que nos ajuda a compreender de que maneira Deus tenta nos salvar ao mesmo tempo que respeita nossa liberdade. É uma parábola de um rei que ama uma moça humilde:

Não havia rei como ele. Todos os estadistas tremiam diante de seu poder. Ninguém ousava pronunciar uma palavra contra ele, pois este rei possuía a força para esmagar todos os oponentes. E, ainda assim, esse poderoso rei derreteu-se de amores por uma moça humilde. Como podia declarar seu amor por ela? Por ironia, sua própria realeza deixava-o de mãos amarradas. Caso a trouxesse ao palácio, lhe coroasse a cabeça com jóias e lhe vestisse o corpo com vestes reais, certamente ela não resistiria - ninguém ousava resistir-lhe. Mas ela o amaria? É claro que diria que o amava, mas amá-lo-ia de verdade? Ou iria viver com ele temerosa, secretamente se lastimando pela vida que havia deixado para trás? Seria feliz ao seu lado? Como ele poderia saber? Caso fosse na carruagem real até a cabana dela na floresta, com uma escolta armada balançando imponentes estandartes, isso também a atordoaria. Ele não desejava uma súdita servil. Desejava uma amante, uma igual. Desejava que ela esquecesse que ele era rei e ela uma moça humilde e que deixasse que o amor partilhado vencesse o abismo existente entre eles. "Pois é somente no amor que o desigual pode ser feito igual", concluiu Kierkegaard.

Esse é exatamente o mesmo problema que Deus enfrenta em sua busca por você e eu: se ele se impuser sobre nós com seu poder, não seremos livres para amá-lo (amor e poder freqüentemente possuem relações opostas). Ainda que mantenhamos nossa liberdade, podemos não amá-lo, mas simplesmente amar aquilo que ele nos dá. O que Deus pode fazer? Veja o que o rei fez:


O rei, convencido de que não poderia fazer a moça melhorar sua condição social sem reprimir sua liberdade, decidiu rebaixar-se. Vestiu-se de pedinte e aproximou-se da cabana incógnito, com uma capa surrada, frouxa, esvoaçando ao seu redor. Não era um mero disfarce, mas uma nova identidade que assumiu. Renunciou ao trono para ganhar a mão dela.

Não tenho fé suficiente para ser ateu de Norman L. Geisler e Frank Turek, citação de Decepcionado com Deus. São Paulo: Mundo Cristão, 2004, 11 ed.,p.103-4


"Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens." Fp 2:5-8


Assumir a forma de um servo humano era a única maneira de ele nos oferecer salvação sem negar nossa capacidade de aceitá-la.

7 pecados capitais?

O Vaticano acabou de acrescentar mais alguns pecados à lista dos pecados capitais, aqueles que -segundo a Igreja Católica- dão origem a inúmeros outros pecados e aos vícios.
Após uma pesquisa no google, descobri que o catecismo romano também classificou os pecados em veniais e os mortais. Os primeiros seriam faltas leves que, se não tratadas, conduzem a outros pecados mais sérios. Já a transgressão dos 10 mandamentos seriam classificados como pecados mortais, os piores de todos, que devem ser evitados a qualquer custo.
Os antigos pecados capitais da lista são: soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça. O Vaticano atualizou a lista de pecados capitais para adaptá-la à "realidade da globalização" e acrescentou a manipulação genética, o uso de drogas, a desigualdade social e a poluição ambiental.
Em entrevista Monsenhor Gianfranco Girotti, responsável pelo tribunal da Cúria Romana que trata das questões internas do Vaticano, e que falou dos novos pecados aos padres reunidos no Vaticano até o final de semana passado durante curso de atualização sobre o sacramento da confissão, recordou as recomendações para se receber o perdão.
"Confissão em 15 ou máximo 20 dias antes ou depois de cometer o pecado, comunhão, oração segundo as intenções do papa, pureza e caridade", disse o clérigo.

Está aí...
As fontes são http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL344282-5602,00-VATICANO+DIVULGA+LISTA+DE+NOVOS+PECADOS+CAPITAIS.html
http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/080310/mundo/religi__o_vaticano
http://www.paginaoriente.com/

Comecei

Bom, depois de ser apresentado e conhecer mais sobre os blogs eh a hora de ter um meu. Um lugar pra compartilhar o que eu encontro por aí.
Enquanto ninguém conhece e lê o meu blog, vou aprendendo a postar.